Jordânia

24/06/2009

.jordan-map

Espremido entre Israel, Arábia Saudita, Iraque, Síria e Líbano, o reino da Jordânia impressiona por sua estabilidade e progresso recente. 

Sim, reino – desde que se tornou independente, em 1946 (dois anos antes da criação de Israel), a Jordânia é comandada por uma família real que diz ser descendente do profeta Maomé, o pai do Islamismo.

É verdade que, nos seus primeiros anos de existência, o país andou se metendo em confusão: em 1967, associado à Síria e ao Egito, travou a Guerra dos Seis Dias contra Israel. O resultado foi humilhante para os países árabes: o Egito teve o Sinai ocupado; a Síria, as colinas de Golã; e a Jordânia perdeu o controle da Cisjordânia e da parte oriental de Jerusalém (os dois últimos territórios, habitados majoritariamente por palestinos, jamais seriam recuperados).

Desde então, 27 anos se passariam até que, em 1994, a Jordânia assinasse a paz com os israelenses, o que a tornou a primeira nação do Oriente Médio a reconhecer o estado de Israel. A ação foi condenada pelos países árabes vizinhos, mas permitiu que o reino enfocasse um agressivo programa de liberalização econômica.

Paralelamente, a Jordânia também passou a tolerar uma maior abertura política – em 1992, os partidos politícos foram legalizados e, em 2007, houve eleições parlamentares e municipais.

 No campo econômico, os sinais de prosperidade são visíveis a quem visita Amã, a capital jordaniana.

 DSC06917

DSC06924

DSC06913 

Há numerosos condimínios de luxo em construção na periferia da cidade, onde já abundam shopping centers e restaurantes chiques. A abertura econômica vem influenciando os costumes dos jordanianos – nas ruas de Amã, é possível encontrar várias muçulmanas com trajes ocidentais e os cabelos expostos.  

Já no campo político, ainda que tenha feito progressos, o país continua nas mãos da família real. Como nas piores ditaduras africanas, há fotos do rei Abdallah, o líder supremo do país, em todos os cantos: ele com uniforme militar e ar sério, ele ao lado do pai, o falecido rei Hussein, ele sorridente, com os filhos…

Turistas que passarem pela Jordânia inevitavelmente viajarão pela Estrada do Rei (sim, ela é chamada assim mesmo), que liga Amã a Petra, a principal atração do país.

DSC06897 

Cidade do tempo dos egípcios, Petra tem uma peculiaridade: foi interiamente esculpida em rochas. E não, não estamos falando de simples cavernas.  

DSC06899 

DSC06901

DSC06903

Só faço um alerta a quem for visitar a Jordânia: a menos que você aceite passar quatro horas entre filas, revistas e postos de controle (com direito a evacuação por ameaça de bomba), em hipótese alguma cruze a fronteira do país com Israel na ponte Hussein, perto do Mar Morto.

E eu reclamando das duas horinhas de questionários na fronteira entre Israel e o Egito…

Anúncios

16 Respostas to “Jordânia”

  1. Pablo said

    wooooooow!, como é possível que eles tenham esculpido essas entradas na pedra? lá dentro também é assim ou se torna irregular?

    lindas imagens!

  2. Lindas imagens de Petra e não só. Boa ideia ter colocado o dromedário e o jordano na foto. É surpreendente a intensa radiação luminosa. Pela localização no mapa imagino a Jordânia como um país de paisagem desértica. Então começo a pensar como é que eles se abastecem de água. Presumo também que eles não possuam grandes recursos naturais. Quais são as principais fontes de rendimento?

    • João Fellet said

      eles tem algumas fontes de agua, antonio, mas esse e um problema grave.
      quanto aos principais rendimentos, eles sao grandes exportadores de fosfato.

  3. João o que tem atras dessa porta esculpida?
    E quantos graus por aí?obrigada.
    abraços sonia

  4. m.Jo said

    João,
    Você se esqueceu de mencionar a rainha Rania. É o que há de mais auspicioso e progressista na Jordânia.
    Bjks
    m.Jo

  5. Guta said

    Eu acho Petra um dos lugares mas incríveis do mundo (pelas fotos), mas já ouvi muita gente dizer que pode ser um pouco decepcionante (não é muito grande, não é?).
    A pergunta é: perto do Egito, o q vc achou de la??? Vala e pena visitar?
    obs: Boa sorte em outras fronteiras! :-)

    • João Fellet said

      eu achei bem impressionante sim, guta. e grande!
      vc se refere a fronteira do egito com a jordania? se sim, e uma area belissima, rochosa, perto do Mar Vermelho.
      vale a visita.

  6. Paulino said

    Fellet,
    Cheguei a ouvir vc pronunciar “controlo” no final do post, ahahaahahaha.
    Mjo, tem razão, vc esqueceu de Rania, uma espécie de Edward de saias.
    Paulino

  7. zé maia said

    eu tive uma idéia.
    depois eu falo…

  8. Fê Costta said

    Olá!!

    Que aventura incrível!! Pena que só agora descobrí seu blog, cheguei aqui por acaso buscando informações de Johannesburg. Vou ler com calma ao longo das minhas férias!

    Sucesso na aventura!

    Grande abraço,

  9. […] Se, após ver as fotos deste post, alguém tiver uma sensação de déjà vu, não se preocupe: é que os mundos continuam a se […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: