No Sudão, como os sudaneses

05/06/2009

Mussa é o prestativo e simpático gerente do hotel em que estou hospedado em Cartum.

Ontem, Mussa quis saber o que eu mais estranhara no Sudão.

Respondi-lhe que o calor, pois jamais estivera em lugares onde a temperatura ultrapassasse os 40ºC.

Ele então me disse que o problema eram as minhas roupas – camiseta e bermuda.

Segundo Mussa, essas roupas não serviam para o clima do Sudão.

Para sofrer menos, eu precisaria de uma jelabia (foto abaixo), a túnica branca que grande parte dos sudaneses veste e que eu já vira outras vezes nesta viagem em regiões de maioria muçulmana.

DSC05976

E também de uma taghia, o chapéu sem abas usado pelos muçulmanos, preferencialmente de cor branca.

“Se quiser, vamos juntos e compramos as duas peças para você agora”, ele propôs.

É claro que eu concordei.  

Saímos a pé pelas ruas de Cartum e logo encontramos um ambulante que vendia cada jelabia por 10 dólares.

Mussa sugeriu que eu comprasse a que ficasse mais folgada no corpo e que depois a levasse ao alfaiate, para acertar o comprimento e as mangas.

Segui as suas dicas.

A taghia eu comprei logo depois, também num ambulante, por 1 dólar.

Ontem à noite fui buscar a jelabia no alfaiate, um senhor que opera a sua máquina de costura no vão entre dois prédios no centro de Cartum.

Para estreá-la, Mussa me convidou para ir à mesquita hoje, sexta-feira, o dia sagrado para os muçulmanos. O islamismo é a religião majoritária no norte do Sudão, e o país aplica a sharia, o código de leis da fé islâmica.

Estes somos nós antes de deixarmos o hotel.

 

DSC05972

Cartum é cheia de mesquitas belíssimas.

Mas, infelizmente, a que visitaríamos estava lotada, e tivemos de nos juntar à multidão que rezava do lado de fora, no meio da rua.  

Já participara de outras rezas muçulmanas antes, na Tanzânia e em Moçambique, e fui capaz de seguir o script sem grandes problemas (dobrar o tronco – esticá-lo – ficar de joelhos – tocar a testa no chão – sentar sobre os calcanhares – tocar a testa no chão – levantar- dobrar o tronco etc).

Ao fim, muitos dos homens que não haviam levado tapetes e tiveram de rezar sobre o chão saíram com as testas sujas de terra – o que era encarado com naturalidade por eles e pelos outros.

Quanto ao meu novo traje, Mussa estava certo.

Nada poderia ser mais adequado ao calor.

O vento entra pelas enormes aberturas das mangas e circula livremente pelo corpo.

E, fora o rosto e o pescoço, não há parte alguma do corpo exposta ao sol.

Nem os pés (abrasileirei o meu traje usando havaianas), já que a jelabia quase toca o chão.

Na cabeca, a taghia é igualmente eficiente.

Sem ela, andando sob o sol, em poucos minutos o meu cabelo parece pegar fogo.

Mas com ela os raios do sol são todos refletidos.

Não quero mais saber das minhas bermudas e camisetas.

Na rua, muitos acham que sou árabe e me cumprimentam. Alguns vêm puxar papo.

Quando digo que não falo árabe, perguntam se sou iraniano, turco ou indiano.

Se conto que sou brasileiro, dão muitas risadas. Acho que eles não acreditam.  

Anúncios

36 Respostas to “No Sudão, como os sudaneses”

  1. zé maia said

    Vai parecer muito rude de minha parte se eu escrever a gargalhada que eu tô dando agora?
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

  2. Fernanda Matsinhe said

    Oi joao, eu tou aqui mais uma vez com ajuda de um desbloqueador de sites pa entrar no teu blog….Joao tua viajem ta hilaria, tou descobrindo uma africa que nem eu africana de longe conhecia, tenta fazer boas materias ai no sudao, tenho muitas curiosidades sobre o sudao….. caraca tu ficou lindo msmo na roupa….deve tar ajudando mesmo no calor, nem posso imaginar eu acho que so passaria o dia no ventilador…. eh eh eh
    bjao boa sorte ai

  3. Marcos said

    Quando voltar ao Brasil lance a moda por aqui. O verão daqui também nos faz sofrer com as bermudas e camisetas

  4. marcus volpe said

    fantastico!!!

  5. Coronel Kurtz said

    o hábito faz o monge

  6. Umberto said

    Cara, mas você tem cara de arabão, deveras :)

    Leio seu blog todos os dias e o repassei a todos meus conhecidos. Morei dois anos em Maputo e conheço um pouco da África.

    Abraço e boa viagem!

  7. menino said

    ahahah, puta cara de árabe.
    fico imaginando o carlos padeiro com essa roupa.

  8. Fellet, por favor, não engrosse o movimento de uma frase por linha encabeçado por Juca Kfouri. Faça isso somente quando a frase isolada for realmente muito impactante. Vc escreve muito bem pra usar dessa técnica bizarra.

    • João Fellet said

      zidane, os paragrafos curtos sao para facilitar a leitura — ainda que eu tenha mesmo roubado isso do blog do juca.

      evito paragrafos com mais de duas frases para que o texto nao fique visualmente pesado (ja que muitas vezes eles sao longos).

      abs

  9. Eny said

    oi João, conheci o seu blog através do Novo em Folha. Adorei os relatos e vou acompanhar sempre que puder. Parabéns pela iniciativa! Abs.

  10. gabriela said

    assim que eu li sobre a sugestao do mussum eu pensei “que ele tenha tirado uma foto!” e quando eu vi a foto… hahahahahahahahahahaha!!! adorei joao!
    saudades!
    beiijos

    • João Fellet said

      mussum, gabriela? eh mussa! hahaha…
      sabia que se nao mostrasse a foto todos iriam me cobrar, entao resolvi publicar.
      e o frio em buenos aires, que tal?
      beijos!

  11. Ana said

    João, vc ficou ótimo de jelabia. E as mulheres,como fazem pra espantar o calor? Ou elas não saem de casa?

    • João Fellet said

      Obrigado, Ana! Vou lancar moda no Brasil, como sugeriu o Marcos.
      As mulheres tambem se cobrem, umas mais do que as outras.
      A maioria (as muculmanas) enrola o rosto num veu e cobre o resto do corpo com panos.
      Mas tambem tem bastante mulher crista aqui, e essas nao usam veus — mas sempre se vestem de um jeito conservador, sem decotes ou calcas justas.
      Vou ver se publico umas fotos delas nos proximos dias.
      bjs

  12. Filipe Torquato said

    Nossa, que simpático, hahaha! :D

    Desde a Etiópia tenho degustado ainda muito mais essa viagem, com detalhes pitorescos que dizem muito sobre as comunidades visitadas. Ainda espero a publicação de um livro seu, ‘O Milhão brasileiro’.

  13. rosana fellet said

    Joãp, estamos reunidos na minha casa: sua avó, a tia Cecilia e o tio Celso, a tia Ines, o Andre e a Samanta, e ficamos impressionados com as imagens e achamos voce lindo de jalaia só que estamos com nuitas saudades de voce.

    Beijos de todos e continue com as suas noticias que servem de ensinamento para nós.

  14. Léo said

    João, você é um gato e de árabe ficou tudoooo de bommm!

  15. mayra said

    a foto ficou ótima. não imagino você mais “em casa” do que assim, com o novo look. minhas roupas ao modo congolês têm feito sucesso aqui, principalmente comigo mesma, que nunca encontrei algo mais confortável na vida. no verão, então, só vai dar bubu.
    e vamo combinar, né, nego, tá na cara que você é árabe. =)

    • João Fellet said

      entao ta combinado: no verao, vamos nos dois — voce de bubu, eu de jelabia — dar uma volta na augusta, que tal?

  16. Bem ,posso engrossar esse passeio vestida a moda de Ghana,heheheheheheheeh(me avisem)
    Bem ,cheguei afinal nesse post e olha o que tinha dado de dica sem ter lido :roupa branca ou amarelinha…..,algodão…….
    Roupas locais realmente funcionam……Os homens em Ghana usam umas togas muito bonitas…..e só um calção por baixo…..
    e a havaianex é tudo que há…deixei de presente quando voltei!Levei uma branquinha ………
    Enfim ,achei ótimo poder ver essa foto!!!!
    e eles tem muito orgulho quando a gente se integra a eles……..
    Essa é a áfrica,das mil cores e mil sabores,mil cheiros e sensações……….
    abraços sonia

  17. Paulinho said

    Amigo João,
    Mas vc tem cara de árabe totally, sempre pensei nisso.
    Essa roupa é um luxo, hein?
    Nosso amigo da China iria ficar roxo de inveja, não ia?
    Volte ao Brasil, meu amigo, e já vá rabiscando o livro.
    Paulino

  18. tamos facendo trabalho sobe o sudão +me dar + informasoes ei e bota umas comidas tipica ai do sudãoo e masa este saite..
    vlw espero esta dicas..
    manda rapido
    abracos

  19. bruna said

    nahum gostei do que vcs mostraram eu quero saber o que eles usavam e nahum se eles pasaram em um hotel ou deixaram de passar !

  20. Nossa, que legal..
    tenho que fazer umas pesquisas sobre o Sudão, e felizmente encontrei seu blog, que já me ajudou um pouco na parte da moda!

    Se você tiver algumas fotos aí, da moda, da culinária.. ou se saber de algum cantor e dançarino famoso daí, poderia me passar?

    é meio dificil saber algumas informações.. não é tudo que dá pra achar na internet! =)

  21. cars said

    A little bit of knowledge goes a long way in all
    situations in life. Buying a car is no different! That means you need to read
    advice from experts, as detailed below, to ensure
    that when you shop for that car, you really know what
    you’re doing and how to get the best deal.

  22. My family all the time say that I am wasting my time here at
    web, however I know I am getting familiarity daily by reading such fastidious articles
    or reviews.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: